Mais poeiras

Pediu para sonhar menos.

Ter menos vontades, menos apegos. Pediu pra ser menor.

Pediu menos dias felizes. Pediu menos supresas.

Pediu para ser homem, ser criança, ser um mosquito que seja, se isso significar sofrer menos.

Sofrer menos.

Como as pessoas passam, todas elas, por tanto sofrimento?

Por coisas grandes, coisas pequenas, coisas completamente esquecíveis, nao importa.

Todas elas doem.

Não pediu para um maior encontro das coisas. Justiça é uma palavra muito grande, mas talvez seja essa mesma, a palavra.

Pedir por isso ia ser pedir demais.

Se perguntou porque é assim. Quase todo mundo nasce, sozinho, para passar o resto da vida tentando ser feliz um pouquinho. E pra ser feliz, tentam ser amados, um pouquinho. Até a pessoa com o maior amor próprio e autoseguranca do mundo procuram alguém que goste delas como elas são.

Acontece, é raro, mas acontece.

Só que a gente não pode procurar, nem pedir, cobrar, nem nada.

Essas coisas vêm no vento, e do mesmo jeito que aparecem, vão embora. As vezes, sem nem saber.

Por isso pediu por um brilho menor na vida. Coisas menores. Sofrimentos menores.

É melhor.

Facebook comments:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>