A maldição da música

Estão bem documentadas nos posts desse blog as evidências para a minha mais nova louca teoria.

Decidi que as músicas que escolho pra publicar aqui funcionam de forma medium-messiânica em relação à minha vida.

Explico: O primeiro exemplo desse fenômeno, e o mais claro também, é a letra da música do Los Hermanos, Fingi na Hora Rir, que publiquei na quarta feira porque há vários dias meu namorado tinha atentado para a estrofe fofa:

cada dia a mais é um a menos pro encontro acontecer

Obviamente, a estrofe não explica a musica; e a musica não explicava a minha vida, em absolutamente nada fora essa estrofe. Mas o meu domingo, o seguinte, pode ser descrito dessa forma:

Hoje eu quis brincar de ter ciúme de você
Mas sem porque meu coração me avisou que não
Fingi na hora rir
(…)
Aquilo que eu temia aconteceu ou foi só ilusão…

E também pode ter uma idéia da minha vida hoje por:

Pois eu, eu só penso em você
Já não sei mais porque
Em ti eu consigo encontrar
Um caminho, um motivo, um lugar
Pra eu poder repousar meu amor

Sim, tenho outros exemplos. Esse não é um caso isolado. Tem acontecido muito de músicas que eu descubro e amo, porém sem nenhuma identificação, acabar descrevendo minha vida no segundo seguinte.

(Ou então músicas que sempre descreveram minha vida me dar uma noção muito clara do que está se passando do lado de lá. Mas isso é outra história.)

Facebook comments:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>